GTs

Atualizados para o SEMIC 2017.

 

Seminário de Mídia e Cidadania

GT 2 Cidadania, Direitos Humanos e Conflitualidades

Coordenação: Magno Medeiros e Luciene de Oliveira Dias

Comunicação, cidadania e direitos humanos: interfaces, influências e confluências. Políticas públicas para a comunicação e a cidadania. Gestão da comunicação e cidadania. Sociabilidade, socialização e construção dos espaços de exercício da cidadania a partir dos processos midiáticos. Espaço público e movimentos sociais em face da sociedade midiatizada. Democracia e democratização dos meios de comunicação. Mídia, poder, sociedade civil e globalização. Mídias contemporâneas e processos socioculturais. Mídia, diversidade cultural, diferença e tolerância. Mídia, violência e imaginário social. Espetacularização e banalização da violência e do medo na mídia. Preconceito, discriminação e violência simbólica na mídia. A criança e o jovem na mídia. Representações simbólicas das minoridades sociais na mídia. Representação social, comunicação alternativa e exclusão social. Cidadania e inclusão digital e midiática.

GT 3 Jornalismo e Cidadania

Coordenação: Ana Carolina Rocha Pessoa Temer

Jornalismo e suas relações com a cidadania. A imprensa e seus compromissos com a o espaço urbanos e os direitos dos cidadãos. Responsabilidade social do Jornalismo. A questão do interesse público e do interesse do público. O jornalismo e a prestação de serviço de relevância social. Aspectos específicos do jornalismo e a questão dos valores notícia. As relações do jornalismo com o Estado e com grupos sociais organizados. Jornalismo e minorias sociais. Representações do jornalismo em questões de interesse público. Leituras históricos-culturais sobre a cidadania a partir de suas relações com o jornalismo. Jornalistas e o suas rotinas de produção nas questões de interesse público. O jornalismo e suas representações frente às questões éticas e legais.

 

GT 4 Cidadania e Leitura Crítica da Mídia

Coordenadora: Simone Antoniaci Tuzzo

O GT Cidadania e Leitura Crítica da Mídia busca a discussão dos produtos midiáticos impressos ou eletrônicos a partir de uma análise contemporânea, discussão de metodologias e o desenvolvimento de novas metodologias de análises qualitativas e quantitativas. Também procura Identificar a relação entre mídia e processos de sociabilidade, socialização e exercício da cidadania nas sociedades contemporâneas existentes nos discursos midiáticos e uma busca epistemológica dos fundamentos para uma leitura crítica da mídia. O GT também procura discutir o papel da mídia numa sociedade em transformação onde a relação entre informação e comunicação está cada vez mais em mutação. 

 

GT 8  Comunicação, Interesse Público e Tecnologias

Coordenação: Dalton Martins e Tiago Mainieri

O GT se propõe a analisar a comunicação no contexto da cidadania e das tecnologias digitais em rede. Dentre os temas abordados, ressalta-se em especial: a comunicação pública no âmbito da sociedade contemporânea, os desafios e as relações entre cidadão, estado e sociedade; o interesse público na comunicação; a esfera pública midiatizada, seus limites e contornos na contemporaneidade; a sociedade em rede e as possibilidades de reconfiguração dos processos comunicacionais; as interfaces comunicação e cidadania; netativismo, inteligência coletiva e mídias sociais digitais.

 

Seminário de Mídia e Cultura

GT 6 Identificações Culturais e Produção de Sentidos

Coordenação: Rosana Maria Ribeiro Borges e Ricardo Pavan

Comunicação, cultura e sociedade: implicações e inter-relações. A afirmação do sujeito da comunicação e a produção cultural. Mediações culturais e processos de significação. Discursos comunicacionais, sentidos culturais e práticas sociais. A cultura nas Ciências Sociais. Cultura popular: sentidos e conceitualizações. As articulações entre o popular e o massivo nas mídias. A centralidade da cultura nos estudos da Comunicação. Mídias e identidades culturais

 

GT 7 Mutações Discursivas: Comunicação, Literatura, Consumo

Coordenação: Goiamérico Felício C. dos Santos

A comunicação, as novas tecnologias, a literatura e o consumo formam uma teia discursiva que caracteriza a cultura das mídias. As diferentes narrativas midiáticas provocam ressonâncias discursivas que se emanam de diferentes dispositivos tecnológicos e em diversos formatos narrativos (livros, cinema, publicidade, televisão, imprensa). Nesse contexto, as novas linguagens e novas formas para o pensar e o sentir a partir da insurgência de formas expressivas, incitam à participação na vida pública. Assim, a vida societária contemporânea se encontra enredada pelo consumo ao mesmo tempo em que acena para novas formas de participação política e afirmação dos direitos humanos negados às minorias sociais. Na cultura midiática as fronteiras discursivas, se encontram em estado de erosão exigindo novas angulações interpretativas da vida cotidiana sob os prismas da convergência das mídias e da interdisciplinaridade. As novas mídias formam, portanto, um novo tecido teórico que possibilite a emergência de novas epistemologias com as quais possamos problematizar o espírito do nosso tempo.

 

GT 9 Interfaces Comunicacionais

Coordenação: Andréa Pereira dos Santos e Frederico Ramos Oliveira

Estudo das práticas comunicacionais e sua inter-relação com outras áreas de estudos. As interfaces comunicacionais e seus reflexos nos processos constitutivos da comunicação e sua relação com a educação, com a ciberleitura, cibercultura, ciberespaço, com a política, com a religião, com a sociologia entre outras possibilidades de interconexão.

 

GT 10 Tecnologias e Estética

Coordenação: Suely Gomes e Deyvisson Costa

O GT aborda e problematiza as configurações práticas, estéticas e discursivas e suas relações controversas com a conjuntura político-tecnológica contemporânea, enfatizando acima de tudo os dispositivos comunicacionais que constituem modos de ser, estar e vivenciar o mundo. Os temas que perpassam o GT são: 1) as possibilidades estéticas, corporais e artísticas abertas pelas tecnologias de comunicação e informação (TICs); 2) as formas de sociabilidade e subjetividade engendradas pelas práticas tecnológicas; e, por fim, 3) as resistências e biolutas inerentes aos ambientes comunicacionais.

 



Deixe uma resposta